quinta-feira, maio 31

* 31 de Maio - Dia mundial sem tabaco!


 O Dia Mundial sem Tabaco, 31 de maio, é uma data que tem como objetivo divulgar para população os perigos do uso do tabaco, as estratégias das companhias para seduzir os jovens a iniciar no tabagismo, as ações que a Organização Mundial da Saúde (OMS) desenvolve para controlar a epidemia do tabagismo no mundo, assim como o que a sociedade pode fazer para reivindicar o seu direito à saúde e à vida saudável e proteger as gerações presentes e futuras. A data foi criada em 1987, pela OMS.
Para as ações deste ano, a OMS escolheu o tema “A Interferência da Indústria do Tabaco”. O Brasil adaptou a abordagem para o contexto nacional, enfocando os danos causados ao longo da cadeia de produção do tabaco ao meio ambiente e à saúde da população. Como o uso de agrotóxicos que agridem ecossistemas, fumicultores,  provocam o desmatamento, usa o trabalho adolescente e infantil, provoca danos à saúde da população, com a dependência química à nicotina e o fumo passivo e, por consequência, o aumento do risco para o desenvolvimento das Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNTs), como Acidente Vascular Encefálico, infarto e diversos tipos de câncer. Daí, a escolha do tema nacional: “Fumar: faz mal pra você, faz mal para o planeta”.
Meio ambiente e o tabaco 

Desmatamento
O tabaco, além de prejudicar a saúde de quem fuma, agride o meio ambiente, pois florestas inteiras são devastadas e utilizadas como combustível para alimentar os fornos à lenha e as estufas, que secam as folhas do fumo antes de serem industrializadas. As ações de desmatamento para a produção do fumo de tabaco contribuem de forma significativa para o desmatamento global, correspondendo a aproximadamente 5% do total desmatado nos países em desenvolvimento. Para cada 300 cigarros produzidos, uma árvore é queimada. Cada 15 maços de cigarro que chegam ao mercado sacrificam uma árvore.
Poluição do ar, das águas e matas.
A fumaça do cigarro contém mais de 4.700 substâncias tóxicas, incluindo arsênico, amônia, monóxido de carbono (o mesmo que sai do escapamento dos veículos), substâncias cancerígenas, além de corantes e agrotóxicos em altas concentrações. Imagine a quantidade de toxidade que várias pessoas fumando deixam no nosso planeta.
Filtros de cigarros desprezados no chão e outros locais inadequados e, depois, levados pela chuva para lagos, rios, oceanos, florestas e jardins, demoram cerca de 5 anos para se decompor, podendo matar peixes, animais marinhos e aves que podem ingeri-los. As pontas de cigarro lideram a lista de itens mais coletados nas praias e correspondem de 25 a 50% de todo o lixo coletado em ruas e rodovias. 


Uso de pesticidas e agrotóxicos  
Grande parte da produção do fumo é feita por agricultores familiares. Na lavoura, trabalham cerca de três a quatro integrantes de cada família, incluindo crianças e adolescentes. Levantamento com fumicultores na região Sul do Brasil concluiu que 55% não usam equipamentos de proteção, como máscaras, luvas e botas.
A pesquisa também concluiu que 48% dos familiares dos agricultores sofrem de problemas de saúde associados ao uso de substâncias químicas, como dores de cabeça persistentes e vômitos. O estudo revelou, ainda, que aproximadamente 80% das famílias se desfazem dos resíduos inadequadamente, jogando os recipientes vazios de agrotóxicos nas florestas ou queimando-os.
Ainda em relação ao uso de agrotóxicos e seus efeitos, entre os fumicultores observa-se maior risco de desenvolvimento de alterações comportamentais, que podem evoluir para depressão e até suicídio. Estudo de 1996 encontrou fortes indícios da relação entre a utilização de pesticidas na fumicultura e o aumento das taxas de suicídio no município de Venâncio Aires (RS), um dos maiores produtores de fumo em folha da região.
Entrave ao desenvolvimento
A colheita das folhas de fumo ocorre em dezembro e janeiro, na qual se utiliza, massivamente, a mão-de-obra infantil. Tanto que o calendário escolar da região do fumo teve que se adequar a esta realidade, antecipando o término do ano letivo ao início da safra.

Incêndios
25% de todos os incêndios são provocados por pontas de cigarros acesos, tanto domésticos quanto em matas e florestas, o que resulta em destruição e mortes.
Fumo passivo
Estudos revelam que entre pessoas expostas ao fumo passivo há risco 30% maior de desenvolver câncer de pulmão, 30% mais risco de sofrerem doenças cardíacas e 25% a 35% mais riscos de terem doenças coronarianas agudas. Além disso, a propensão à asma e à redução da capacidade respiratória é maior neste grupo.
Um recente e importante avanço na política nacional de controle do tabagismo foi alcançado com a aprovação, pela presidente Dilma Rousseff, da Lei Federal 12.546/2011, que proibiu o fumo em recintos coletivos fechados em todo País.
Com a aprovação dessa medida, o Brasil enfatiza o cumprimento do artigo 8º da Convenção-Quadro para o Controle do Tabaco (CQCT), que determina que os países que assinaram o documento adotem medidas para proteger a população dos riscos do tabagismo passivo em ambientes públicos, locais de trabalho e meios de transporte.
Segundo a OMS, a poluição tabagística ambiental, resultado da fumaça exalada pelo fumante, é a maior causa de poluição de ambientes fechados e a terceira maior causa de morte evitável no mundo.
O ar poluído contém, em média, três vezes mais nicotina e monóxido de carbono, e até 50 vezes mais substâncias cancerígenas do que a fumaça que entra pela boca do fumante depois de passar pelo filtro do cigarro.
No Brasil, pelo menos, 2.655 não fumantes morrem a cada ano por doenças atribuíveis ao tabagismo passivo. O que equivale dizer que, a cada dia, sete brasileiros que não fumam morrem por doenças provocadas pela exposição à fumaça do tabaco.
Você está querendo parar de fumar? Pare de fumar sem  virar sua vida de cabeça para baixo!
Mas será tão fácil assim?
Para aqueles que não fumam, parar de fumar pode parecer algo simples. Basta querer.
Muitas vezes essa decisão é adiada para evitar o "desconforto" de ficar sem o cigarro. Outras, por acreditar que é possível parar a qualquer momento. Podemos ainda buscar o momento ideal ou esperar que a vontade e a certeza de querer parar de fumar apareçam! Que tal pensar um pouco sobre essa decisão?
 Alguns dados para você refletir
São cerca de 4.720 substâncias tóxicas existentes na fumaça do cigarro que trazem risco à saúde. Além das mais conhecidas, como nicotina e monóxido de carbono, a fumaça do cigarro contém substâncias radioativas como polônio 210 e cádmio (aquele das baterias dos carros).
Mas você pode argumentar...: "Muitas pessoas fumam e não adoecem. Outras não fumam e adoecem”. O importante é entender o que é se expor a riscos.
Por exemplo: se você atravessar uma rua movimentada de olhos fechados, poderá chegar ao outro lado sem se machucar – mas o risco de ser atropelado é bem maior do que se você atravessar de olhos abertos na faixa de pedestres. Da mesma forma, se você fuma, está se arriscando mais do que aqueles que não fumam.  
O que acontece de bom se você parar?
Estatísticas revelam que os fumantes, comparados aos não fumantes, apresentam risco:
- 10 vezes maior de adoecer de câncer de pulmão;
- 5 vezes maior de sofrer infarto;
- 5 vezes maior de sofrer de bronquite crônica e enfisema pulmonar;
-  vezes maior de sofrer derrame cerebral
Além desses riscos, as mulheres fumantes devem saber que:
 - o uso de anticoncepcionais associado ao cigarro aumenta em 10 vezes o risco de sofrer derrame cerebral e infarto;
- grávidas fumantes aumentam o risco de ter aborto espontâneo em 70%; perder o bebê próximo ou após o parto em 30%; o bebê nascer prematuro em 40%; ter um bebê com baixo peso em 200%.
- Fumar é um risco à saúde que podemos evitar
- Ao parar de fumar seu corpo vai recebendo benefícios constantes. Veja só:
- Após 20 minutos - A pressão sanguínea e a pulsação voltam ao normal
- Após 2 horas - Não há mais nicotina circulando no seu sangue
- Após 8 horas - O nível de oxigênio no sangue se normaliza
- Após 12 a 24 horas - Seus pulmões já funcionam melhor
- Após 2 dias - Seu olfato já percebe melhor os cheiros e o seu paladar já sente melhor o sabor da comida
- Após 3 semanas - Você vai notar que sua respiração se torna mais fácil e a circulação melhora
- Após 1 ano - O risco de morte por infarto já se reduziu à metade
- Após 5 a 10 anos - O risco de sofrer infarto será igual ao das pessoas que nunca fumaram 

Dando o primeiro passo para deixar de fumar 

O mais importante é escolher uma data para ser o seu primeiro dia sem cigarro. Esse dia não precisa ser um dia de sofrimento. Faça dele uma ocasião especial e procure programar algo que goste de fazer para se distrair e relaxar.

Você pode escolher duas formas para deixar de fumar
Parada imediata
Essa deve ser sempre a primeira opção. Você deixa de fumar de uma só vez, cessando totalmente de uma hora para outra.
Parada gradual
Você pode usar esse método de duas maneiras
Reduzindo o número de cigarros. Para isso, é só contar o número de cigarros fumados por dia e passar a fumar um número menor a cada dia.
Adiando a hora em que fuma o primeiro cigarro do dia. Você vai adiando o primeiro cigarro por um número de horas predeterminado a cada dia até chegar o dia em que você não fumará nenhum cigarro.
Se você escolher a parada gradual não deve gastar mais de duas semanas no processo.

Mas, atenção!
Fumar cigarro de baixos teores não é uma alternativa! Eles fazem tanto mal à saúde quanto os outros cigarros. Cuidado com os métodos milagrosos para deixar de fumar. Se tiver dúvidas, procure orientação médica. Somente um médico poderá avaliar a utilização de outros métodos, como, por exemplo, adesivos de nicotina.
Parar de fumar significa uma mudança radical em sua vida?
Muitos fumantes acreditam que só poderão parar de fumar se reformularem totalmente sua vida e ficam imaginando que vai ser tão difícil que que é melhor nem tentar. 
Você não precisa se tornar um atleta, passar a ser vegetariano radical ou ter uma vida sem amigo ou divertimento. Mas por que não aproveitar a oportunidade para rever sua rotina e fazer mais algumas mudanças para melhor?
Geralmente, abusamos da alimentação desequilibrada e de bebidas alcoólicas; levamos uma vida sedentária e acreditamos que o risco de adoecer está sempre muito distante.

Repense sua rotina 
Pense no que seria possível fazer para mudar sua rotina. Buscar atividades diferentes pode ajudar quando se está parando de fumar. Para quebrar as associações que existem entre fumar e sua rotina, é necessário planejar atividades para colocar "no lugar do cigarro". Você deve manter seus prazeres e lazeres sem o cigarro. Nesse período inicial, contudo, é melhor evitar certas situações até que você se sinta fortalecido para lidar com elas.  
Invista em seu preparo físico 
Procure iniciar caminhadas, de preferência em lugares agradáveis. Se não gosta de caminhar, procure outro exercício ou esporte que o agrade. Preencha seu tempo com algo que você realmente goste de fazer. Dance, pratique jardinagem, cozinhe pratos diferentes, vá ao cinema, museus, ouça música, namore, leia, bata papo com os amigos. O importante é cuidar do corpo e da mente.


O que pode acontecer quando você deixa de fumar?
Fique de olho na alimentação
Se a fome aumentar, não se assuste. É normal um ganho de peso de até 2 quilos após deixar de fumar porque seu paladar vai melhorando e seu metabolismo, se normalizando. De qualquer forma, procure não comer mais do que está acostumado. Evite doces e alimentos gordurosos. Mantenha uma dieta equilibrada, com alimentos de baixa caloria, frutas, verduras, legumes. Para distrair a fome, chupe balas ou chicletes dietéticos. Beba sempre muito líquido, de preferência água e sucos naturais. Evite tomar café e bebidas alcoólicas. Eles podem ser um convite ao cigarro. Procure trocá-los por chá e conquetéis sem álcool (como de frutas e tomate).  
Lidando com a vontade de fumar
A pessoa que fuma fica dependente da nicotina que é considerada uma droga. E daquelas bastante poderosas, pois atinge o cérebro em apenas sete minutos. É normal, portanto, que os primeiros dias sem cigarro sejam os mais difíceis.
 Ao parar de fumar você pode se sentir ansioso, com dificuldade de concentração, irritado, ter dores de cabeça e sentir aquela vontade intensa de fumar. Cada pessoa tem uma experiência diferente. Uns sentem mais desconforto; outros não sentem nada. Mas não desanime, tudo isso vai desaparecer no máximo em duas semanas!

Prepare-se para não voltar a fumar e CUIDADO  com as armadilhas!
Nos momentos de estresse
Quando perdemos alguém querido, passamos por dificuldades financeiras, problemas no trabalho, rompemos um relacionamento, a resposta automática pode ser o cigarro. Procure se acalmar e entender que momentos difíceis sempre vão ocorrer e fumar não vai resolver seus problemas!
Se sentir muita vontade de fumar
Para ajudar, você poderá chupar gelo, escovar os dentes a toda hora, beber água gelada ou comer uma fruta. Mantenha as mãos ocupadas com um elástico, pedaço de papel, rabisque alguma coisa ou manuseie objetos pequenos. Não fique parado - converse com um amigo, faça algo diferente, distraia sua atenção. Saiba que a vontade de fumar não dura mais que alguns minutos.
Evite o primeiro cigarro e você evitará todos os outros

Exercícios: um recurso saudável para relaxar
Respiração profunda
Respire fundo pelo nariz e vá contando até 6. Depois deixe o ar sair lentamente pela boca até esvaziar totalmente os pulmões.
Relaxamento muscular
Você pode esticar os braços e pernas até sentir os músculos relaxarem.
Relaxamento mental
Nas horas em que a vontade de fumar apertar, procure desviar o pensamento para situações boas que você tenha vivido ou queira que aconteça. Tente fechar os olhos e lembrar-se de uma música que você goste e te acalme.
Alguns ex-fumantes acabam voltando a fumar por estarem se sentindo tão bem que acham que podem fumar apenas um cigarro - ou só acender o cigarro de um amigo. Mesmo uma só tragada pode levar você a uma recaída. Portanto, todo cuidado é pouco... 

Recompense sempre seu esforço 
Diariamente: guarde o dinheiro que você gastaria com o cigarro e conte-o ao final da semana. Pegue o dinheiro que economizou e compre um presente para você ou para quem gosta; Se preferir saia para fazer um programa diferente. 
Se você não conseguir se segurar e fumar, não desanime!  
A recaída não é um fracasso. Comece tudo novamente e procure ficar mais atento ao que fez você voltar a fumar.
O mais importante é não usar o deslize como justificativa para voltar a fumar.
Dê a si mesmo quantas chances forem necessárias até conseguir.
OK, VOCÊ VENCEU!!

(Fonte: INCA - Instituto Nacional do Câncer)

Nota da blogueira insana e fumante: Se você está nessa luta para parar de fumar, não está sozinho, somos milhares pelo planeta! Se nunca fumou, nunca fume. Abandonar o vício é muito mais difícil do que pode parecer. 

A todos nós, BOA SORTE!


terça-feira, maio 29

* O Mundo mágico de Escher



Esse foi o nome da mostra desse genial artista holandês no Espaço Cultural Banco do Brasil em 2011, São Paulo.
Movida pela curiosidade e pelo interesse em artes, entrei na exposição mais atenta na arquitetura do prédio que abriga o Centro Cultural, lindíssimo! ... ali fiquei por mais de 4 horas, perdida na fantasia e na genialidade do artista.



 












Maurits Cornelis Escher (Leeuwarden, 17 de Junho de 1898 - Hilversum, 27 de Março de 1972) foi um artista gráfico holandês conhecido pelas suas xilogravuras, litografias e meios-tons (mezzotints), que tendem a representar construções impossíveis, preenchimento regular do plano, explorações do infinito e as metamorfoses - padrões geométricos entrecruzados que se transformam gradualmente para formas completamente diferentes.
Uma das principais contribuições da obra deste artista está em sua capacidade de gerar imagens com efeitos de ilusões de óptica. Foi numa visita à Alhambra, na Espanha, que o artista conheceu e se encantou pelos mosaicos que havia neste palácio de construção árabe. Escher achou muito interessante as formas como cada figura se entrelaçava a outra e se repetia, formando belos padrões geométricos. Este foi o ponto de partida para os seus trabalhos mais famosos, que consistiam no preenchimento regular do plano, normalmente utilizando imagens geométricas e não figurativas, como os árabes faziam por causa da sua religião muçulmana, que proíbe tais representações.
A partir de uma malha de polígonos, regulares ou não, Escher fazia mudanças, mas sem alterar a área do polígono original. Assim surgiam figuras de homens, peixes, aves, lagartos, todos envolvidos de tal forma que nenhum poderia mais se mexer. Tudo representado num plano bidimensional. Destacam-se também os trabalhos do artista que exploram o espaço. Escher brincava com o fato de ter que representar o espaço, que é tridimensional, num plano bidimensional, como a folha de papel. Com isto ele criava figuras impossíveis, representações distorcidas, paradoxos. Mais tarde ele foi considerado como um grande matemático geométrico.

segunda-feira, maio 28

* Estou salva..... Estou?



A modernidade nos trouxe muitos avanços e facilidades. Uma delas e talvez a principal que praticamente define a nossa era é o computador. Mas, como toda ferramenta, o computador pode ser usado construtivamente ou destrutivamente. E aqui, não nos referimos aos hackers ou pessoas que usam do computador para fins ilícitos, mas sim de pessoas que são viciadas em computador.


Dependências e transtornos mentais
A área da psicopatologia, que trata dos transtornos mentais, é uma área bastante fluida. Em outras palavras, algo considerado um transtorno hoje pode não ser considerado amanhã. Por exemplo, até a década de 1980, consideravam a homossexualidade como um transtorno mental, mas hoje não. E nessa mesma época, comer compulsivamente não era visto como um transtorno mental, mas hoje sim. Por isso mesmo, é complicado rotularmos determinado comportamento como sendo uma doença ou transtorno mental.

As dependências entram justo aí. Atualmente, os manuais de classificação diagnóstica utilizados (DSM-IV e o CID-10) incluem as dependências como transtornos mentais. Porém, elas são complicadas de se identificar por alguns motivos:
As dependências mais comuns são dependências de substâncias e não de comportamentos, assim é mais fácil encontrar alguém viciado em cocaína do que viciado em trabalho ou computador.
Não existem estudos suficientes para se ter uma estatística confiável de pessoas viciadas em algum comportamento, principalmente porque são poucos que realmente buscam ajuda.
Alguns pesquisadores só consideram a dependência química e não a psicológica, dificultando reconhecer que é possível se viciar em algum comportamento, como trabalho, jogos ou uso de computador.

Como identificar uma dependência

Falando de um ponto de vista puramente psicológico ou comportamental e tentando não cair em terminologias técnicas médicas ou psiquiátricas, podemos definir uma dependência, vício ou adicção como sendo:
Um comportamento que a pessoa tenha na maior parte de seu tempo e pense excessivamente sobre isso quando não está fazendo tal atividade(uma pessoa viciada em trabalho, por exemplo, trabalha a maior parte de seu tempo e pensa em trabalho até nas pouquíssimas horas de folga).
Um comportamento que provoca sofrimento em outras áreas da vida que não a relacionada ao comportamento em questão (uma pessoa viciada em drogas, por exemplo, não vê o uso das drogas como um problema, mas como uma solução. O problema ocorre quando as drogas atrapalham o trabalho, os relacionamentos, a família, etc.).
Pode-se dizer que o excesso desse comportamento pode servir para compensar alguma falta em outra área da vida (uma pessoa viciada em cigarro, por exemplo, pode fumar para ajudar a compensar alguma ansiedade ou nervosismo).





O Comportamento com o Computador
É importante percebermos o computador como uma ferramenta e o problema não está com ele e sim com o uso abusivo que podemos fazer dele. E como ferramenta, ele nos oferece diversas facilidades, que podem eventualmente ser o foco da dependência.

Talvez seu principal uso seja para o trabalho. Além das atividades voltadas ao computador, como técnicos de informática, programadores ou web-designers, praticamente todas as profissões utilizam-no o de alguma forma, seja para manter um banco de dados ou para produzir algum tipo de conteúdo ou material, ou simplesmente para manter uma comunicação profissional por email. O computador e a internet são também amplamente usados para facilitar o estudo, não só para digitar trabalhos, mas também como fonte de pesquisa para alunos de todas as idades.

A maioria dos usuários de computador e internet são jovens que, além do uso para facilitar os estudos e trabalho, usam computadores e internet também para jogos, sejam online ou não. Existem vários jogos sendo lançados para computador todos os dias. Alguns deles são rápidos de se jogar, outros demandam bastante tempo de jogo e outros ainda podem ser jogados quantas vezes a pessoa quiser.

A internet, além de trabalho, estudo e jogos, é também bastante usada para manter comunicação com outras pessoas, podendo ser através de emails, mensageiros instantâneos, chats ou redes sociais como o Orkut ou YouTube. Hoje em dia todos os usuários de computador ou internet têm, pelo menos, uma conta de email. Os usuários também, em sua maioria, têm uma conta em algum mensageiro instantâneo, o mais popular deles no Brasil sendo o MSN. E muitos deles também têm um perfil no Orkut onde mantêm conversas com seus contatos e participam de comunidades.



Uso excessivo do computador pode caracterizar dependência?
Pode ser só coincidência, mas tanto quem consome drogas quanto quem usa computador é conhecido como “usuário”. Isso em si não diz nada, mas podemos pensar que, da mesma forma como os usuários de drogas, usuários de computador e internet podem se viciar nesses diferentes usos do computador e da internet.

Qualquer uso excessivo de qualquer coisa pode ser prejudicial, se não soubermos equilibrar com outras áreas da vida. Podemos usar o computador como ferramenta de trabalho ou de estudo ou ainda como meio de diversão ou como forma de nos comunicarmos com nossos amigos e contatos pessoais ou profissionais. O problema não está nesses usos que podemos ter do computador, mas sim quando eles se tornam a única coisa que fazemos na nossa vida.

A primeira coisa que devemos perguntar é: o uso do computador está interferindo em outras áreas da vida? Talvez uma pessoa use o computador até altas horas da madrugada e por isso não consegue acordar a tempo para o trabalho. Talvez uma pessoa se comunique mais com seus amigos via MSN e Orkut ao invés de pessoalmente e muitas vezes evita contatos sociais a favor de contatos virtuais. Talvez uma pessoa trabalhe oito horas por dia com o computador, passe mais 6 horas em casa no computador e outras várias horas do dia acessa a internet a partir do celular.

Porém, é importante perceber que nem sempre um uso aparentemente excessivo do computador pode caracterizar dependência. Um técnico em informática ou um web-designer freelancer muitas vezes precisa passar várias horas por dia trabalhando na frente do computador, até altas horas da noite, inclusive finais de semana ou feriados. Mas isso é trabalho e corresponde a apenas um aspecto de sua vida. Existem outras que devemos prestar atenção também.

Essa pessoa tem tempo para ter uma vida social, amigos e outros interesses? Essa pessoa tem tempo para uma vida familiar, esposa ou marido, filhos, pais ou irmãos? Essa pessoa tem condições para enfrentar uma vida profissional longe dos jogos, Orkut e MSN? Ou será que ela pensa que os amigos, a família e o trabalho ou estudos estão interferindo com sua vida virtual?

O principal critério para identificarmos algum transtorno é o sofrimento. Para podermos caracterizar uma dependência de computador ou internet é preciso que o usuário tenha algum tipo de sofrimento direto ou indireto relacionado ao computador durante bastante tempo, como alguns meses. E a pessoa também tem que sentir grande dificuldade em se livrar desse hábito. Se esse for o caso, se a pessoa achar que há alguma coisa errada em sua vida devido ao fato de ela usar bastante o computador, podemos pensar que ela é viciada em computador, informática ou internet.

 E o que fazer?
Não adianta proibir o usuário de computador de deixar de usá-lo, pois o sofrimento vai continuar ou pode até se agravar com a abstinência do computador. O importante é procurar a ajuda profissional de algum psicólogo que, além de investigar o que está por trás do comportamento compulsivo, pode ajudar a pessoa a adquirir novos hábitos de vida que possam fazer a pessoa não usar tanto assim o computador.

Todo vício pode ser combatido, inclusive o de computador. Mas é importante lembrar que a pessoa que é viciada precisa antes de tudo reconhecer o seu problema e querer buscar ajuda. Esse processo, porém, pode demorar e o apoio de amigos e familiares é extremamente importante nestes casos. Também é importante encontrar força para reconhecer o problema e coragem para querer mudar.

(fonte: tecmundo.com.br/gmail/2224-vicio-e-dependencia-de-computador-e-internet.htm)



Confesso que quatro dias fora da internet é tempo que pra fazer muita coisa, inclusive para terminar o dia com muito mais disposição física, menos dor nas costas e para descobrir que existe vida inteligente fora da net...rss

Boa semana!


quinta-feira, maio 24

* Ilusão...


























 


Você tem facilidade em vizualizar esse tipo de imagem?

Eu não!



* Se te parecer estranho....



Calma!
Olhe de novo! Tudo tem uma explicação!






































 
Nem tudo é o que parece ser!
Eis a questão! rss



* A Cigarra e a Formiga - Fábulas modernas



Era uma vez, uma formiguinha e uma cigarra muito amigas.
Durante todo o outono, a formiguinha trabalhou sem parar, armazenando comida para o período de inverno.
Não aproveitou nada do sol, da brisa suave do fim da tarde e nem do bate-papo com os amigos ao final do trabalho tomando uma cervejinha.
Seu nome era "trabalho" e seu sobrenome "sempre".
Enquanto isso, a cigarra só queria saber de cantar nas rodas de amigos e nos bares da cidade; não desperdiçou um minuto sequer, cantou durante todo o outono, dançou, aproveitou o sol, curtiu para valer sem se preocupar com o inverno que estava por vir.
Então, passados alguns dias, começou a esfriar.
Era o inverno que estava começando.
A formiguinha, exausta de tanto trabalhar, entrou para a sua singela e aconchegante toca repleta de comida. Mas alguém chamava por seu nome do lado de fora da toca.
Quando abriu a porta para ver quem era, ficou surpresa com o que viu: sua amiga cigarra estava dentro de uma Ferrari com um aconchegante casaco de vison.
E a cigarra disse para a formiguinha:
- Olá, amiga, vou passar o inverno em Paris. Será que você poderia cuidar da minha toca?
E a formiguinha respondeu:
- Claro, sem problemas! Mas o que lhe aconteceu? Como você conseguiu dinheiro para ir a Paris e comprar esta Ferrari, esse casaco de vison...?
E a cigarra respondeu:
- Imagine você que eu estava cantando em um bar na semana passada e um produtor gostou da minha voz. Fechei um contrato de seis meses para fazer shows em Paris. A propósito, a amiga deseja algo de lá?
- Desejo sim. Se você encontrar o La Fontaine (autor da fábula original) por lá, manda ele ir para a puta que pariu!!!
Moral da História:
"Aproveite sua vida, saiba dosar trabalho e lazer, pois trabalho em demasia só traz benefício em fábulas do La Fontaine e ao seu patrão.Trabalhe, mas curta a sua vida. Ela é única!!"
"Se você não encontrar sua metade da laranja, não desanime, procure sua metade do limão, adicione açúcar, cachaça e gelo, e vá ser feliz!"




quarta-feira, maio 23

* São Paulo, a cidade que não podia parar!





P A R O U !












Metrô e trens urbanos em greve! Ônibus da prefeitura prometem suprir a demanda, mas o trânsito não comporta nem o fluxo habitual de veículos!




Mais de 4 MILHÕES de pessoas serão prejudicadas com essa paralização! Estimativa otimista..rss!






 
249 km de congestionamento às 9h55. Sampa bate mais um record!


Cansei de tanta incompetência!